Quinta-feira, Abril 18
Shadow

Dom Vasconcelos preside rito de dedicação da igreja e altar da Capela São Francisco de Assis em Ubaúna e apresenta novo vigário paroquial

No dia 15 de fevereiro, a comunidade local de Ubaúna, esteve em festa para celebrar a dedicação da igreja e do altar da Capela São Francisco de Assis. Na ocasião, foi apresentado ao povo o vigário paroquial, Pe. José Maurílio Xavier Lima.

A capela estava deteriorada e com isso foi necessário passar por uma reforma e reestruturar. Esta comunidade pertence a Paróquia Nossa Senhora da Saúde de Frecheirinha que está sob administração do pároco, Pe. Júlio Nascimento. Com tudo renovado, faz-se necessário dedicar a igreja e o altar a Deus. Antes do Concílio Vaticano II (1962-1965), o rito de dedicação das igrejas e altares era comum nas catedrais e grandes santuários assim que eram inaugurados ou tinham suas obras concluídas. Após o Concílio, esse rito se estendeu às demais igrejas, inclusive as que já estavam em funcionamento há mais tempo, para ressaltar a dignidade do templo e a sacralidade do lugar de culto. O rito de dedicação é marcado por diversos símbolos e gestos.

No início da celebração, Pe. Fábio Soares, leu a provisão canônica que nomeia Pe. Maurílio Xavier como vigário paroquial da Paróquia de Frecheirinha. Durante a homilia, Dom Vasconcelos relembrou o pedido de Jesus a São Francisco de Assis quando adentrou na igrejinha de São Damião, que ele reconstruísse não apenas a igreja de pedras, mas o modo de ser igreja. “Padre Júlio estava angustiado por conta da deterioração desta igreja tão bela e antiga, e hoje ela está aqui mais bela do que nunca. Como é bom saber que dentro desta cidade existe um cartão postal, não existe lugar mais belo do que a igreja. Aqui nos sentimos família e irmão. A morada de Deus não é só templo, é a vida que construímos em nosso Senhor Jesus Cristo. Como é maravilhoso saber que fazemos parte desta igreja. Hoje chego aqui nessa igreja reformada e tudo belo, mas ainda tem muita coisa para fazer, não está tudo pronto, tem muita pedra fora do lugar, e me refiro a igreja povo de Deus. Dentro das suas casas, vidas, corações e nós precisamos de alguém para caminhar conosco e nos conduzir, para quando chegarmos ao céu podermos dizer: São Pedro chegamos e nenhuma ovelha se perdeu!” disse o bispo diocesano.

Após a homilia, todos cantaram a Ladainha de todos os santos. Houve a prece de dedicação, a unção do altar e da igreja com o óleo do Crisma. Pela unção, o altar se torna o símbolo de Cristo, que é o “Ungido” por excelência com o Espírito Santo. Já a unção da igreja, feita nas 12 cruzes fixadas nas paredes, recorda os apóstolos e sinaliza que o templo é perpetuamente dedicado ao culto cristão. O rito teve continuidade com a incensação, o revestimento e iluminação do altar, local onde o povo de Deus se reúne para celebrar o memorial da Paixão, Morte e Ressurreição de Cristo. Após a preparação do altar, é celebrada a Eucaristia, parte principal e a mais antiga de todo o rito de dedicação de uma igreja.

No final da celebração, Pe. Julio apresentou ao novo vigário e demais presentes as representações de cada grupo desta capela e comunidades e capelas que fazem parte desta paróquia. Padre Maurílio disse estar muito feliz por essa nova convivência e agradeceu a Dom Vasconcelos pela confiança.

 

Thais Helena
Redação Jornal Correio da Semana

Fotos – Marcildo Brito
Repórter Fotográfico Jornal Correio da Semana

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *