Domingo, Maio 19
Shadow

Diocese de Sobral celebra Missa de Exéquias pelo Papa Emérito Bento XVI

A Diocese de Sobral celebrou na noite desta quinta-feira, 05/01, a missa de exéquias pela alma do Papa Emérito Bento XVI na Catedral de Nossa Senhora da Conceição. A Santa Missa foi presidida pelo bispo diocesano, Dom José Luiz Gomes de Vasconcelos.

O futuro papa nasceu na Alemanha, em Marktl am Inn, na Baviera, em 16 de abril de 1927. Era um Sábado de Aleluia. Nesse mesmo dia, o jovem Joseph Ratzinger foi batizado — era um costume desde a Igreja Primitiva ter muitos batismos formais nessa data. A infância e a juventude do Papa Emérito foi profundamente marcada pela ascensão do nazismo. Ele entrou para o seminário menor, mas logo a legislação obrigou todos os jovens a fazerem parte da juventude hitlerista. Em 1951, foi ordenado em 29 de junho, festa de São Pedro e São Paulo. Como sacerdote, não só tinha uma fé exemplar, como também uma inteligência brilhante. No período entre 1957 e 1968, integrava o seleto grupo de maiores teólogos de seu tempo. Tanto que participou do Concílio Vaticano II como “perito” para o Cardeal Joseph Frings, arcebispo de Colônia quando tinha apenas 38 anos. Em 25 de março de 1977, Paulo VI o nomeou arcebispo de Munique e Fresing e em 28 de maio foi então consagrado bispo, tendo como lema, “Cooperadores da Verdade”. Em 27 de junho do mesmo ano, Paulo VI o fez Cardeal. No ano seguinte, o Cardeal Ratzinger participaria de dois conclaves — que elegeram João Paulo I e João Paulo II. Anos mais tarde, em 1981, São João Paulo II o nomearia Prefeito da Congregação para Doutrina da Fé — órgão responsável por analisar a integridade da fé e da doutrina na Igreja, sobretudo no próprio clero.


Foto: Padre Joseph Ratzinger e Cardeal Joseph Frings no Concílio Vaticano II
Imagem: Site Minha Biblioteca Católica

Foto: Bento XVI na Basílica de Aparecida
Imagem: Site Minha Biblioteca Católica

Foto: Dom Vasconcelos em um dos encontros que teve com o Papa Bento XVI enquanto Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Fortaleza

Uma de suas primeiras missões foi liderar a comissão que preparou o atual Catecismo da Igreja Católica. Entrou na mira dos católicos liberais quando defendia os ensinamentos da Igreja sobre temas como aborto, homossexualidade, contracepção, divórcio, educação, etc. Após meros dois dias, a fumaça branca e o toque dos sinos indicou a eleição de um papa. No dia 19 de abril às 17h50 saíra a fumaça branca e às 18h40 da varanda da Basílica de São Pedro, ouviu-se o anúncio. Bento XVI esteve no Brasil em três oportunidades, mas apenas em uma delas como Papa. Entre 9 e 13 de maio de 2007 esteve entre nós por ocasião da 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-americano e do Caribe (CELAM), que ocorreu em Aparecida (SP). Enquanto esteve no Brasil também canonizou Santo Antônio de Sant’Anna Galvão — nosso querido Frei Galvão —, o primeiro santo nascido no Brasil. Depois de 8 anos de pontificado, reconhecendo o peso de sua idade, o esvaimento de suas forças e a vitalidade que a cátedra de Pedro reclamava, em 11 de fevereiro de 2013, Bento XVI apresenta sua renúncia. Desde então, o Santo Padre passou a viver recluso no Vaticano, no mosteiro Mater Ecclesiae, por causa de sua frágil saúde. O Pontífice faleceu no último dia 31/12 às 9h30 no horário italiano e seu funeral ocorreu no mesmo horário deste dia 05/01 e foi presidido pelo Papa Francisco.

Imagens: Papa Francisco preside a última celebração das exéquias do Papa Emérito Bento XVI na Praça São Pedro
Registros: Vatican News

Em Sobral, os fiéis puderam participar da Santa Missa e rezar pelo pontífice em unidade com toda a igreja e o Papa Francisco. Estiveram concelebrando os padres: Pe. Agnaldo Temóteo, Pe. Edinardo Gomes, Pe. João Paulo e o Diácono Permanente, Edmar Filho. Em sua homilia, Dom Vasconcelos relembrou os antecessores do Papa Emérito e chamou a atenção dos fiéis para recordarem o pontificado do Papa São João Paulo II. “Muitas vocações surgiram a partir do testemunho de São João Paulo II, papa este que conquistou o mundo. No seu funeral estavam presentes todos os governos, sejam de direita ou esquerda, todos estavam lá venerando aquele homem. Depois então, me recordo em uma tarde, de quando saiu a fumaça branca no conclave anunciando um novo papa, ele tinha o meu nome “Joseph”, e aquele papa foi o que me escolheu para ser o sucessor dos apóstolos, então eu tenho muitas razões para celebrar esta eucaristia. Eu aprendi a amar e admirar com muita sabedoria o grande Papa Bento XVI. Foi um grande teólogo, é impossível nos tempos de hoje fazermos argumentos seja lá em qualquer área sem citar Bento XVI. Não existe nenhum documento do Papa Francisco que não esteja permeado de citações do Bento XVI, pois ele marcou a história teológica. Foi um homem de vida coerente, profético, deu um grande testemunho de vida. Quando hoje vestimos vermelho, a gente não pode esquecer que na sexta da paixão a gente veste esta cor, quando celebramos os mártires também vestimos vermelho, e quando a gente pensa em um fiel cristão que passou por várias etapas na igreja e chegou a ser escolhido para ser um sucessor de Pedro ele não deixa de ter dado o seu testemunho. Surpreendeu a todos no final de sua vida as suas palavras, pois ele disse que não queria mais ir ao hospital, haja vista que não se preparava para um fim mas para um encontro. Que grande testemunho! Eu tenho certeza que essa era a sua grande fé, a grande alegria em seu coração e oxalá tivesse isso presente no coração de todo cristão, a certeza do encontro com Jesus”, disse o bispo diocesano.

Durante as preces todos pediam pela alma do papa emérito e por sua santidade. Então, ao final da celebração, Dom Vasconcelos recordou a sabedoria e firmeza de Bento XVI, mas ressaltou ainda que o pontífice anunciou a verdade. “Eu falei durante a homilia de sua humildade, aparentemente ele era vaidoso, mas a humildade verdadeira e profunda não está nas aparências, está no agir de alguém que é capaz de descobrir o seu limite –  aquele que é capaz de dizer: “eu cheguei até aqui e daqui pra frente o Espírito Santo conduz a igreja”. Com isso, ele renunciou! Depois de 600 anos que isso tinha acontecido na igreja ele renunciou e passou o seu pontificado, porque o espírito suscita a igreja”.

A igreja continua a rezar pela alma do Papa Emérito Bento XVI, sobretudo por sua santidade, assim como gritavam as diversas pessoas que acompanharam o funeral na manhã de hoje: “Santo Súbito”. Agora, os restos mortais de Bento XVI repousam naquele que foi o primeiro túmulo de São João Paulo II, encerrando assim um capítulo da história recente da igreja. Francisco segue sozinho no seu ministério petrino, sem a companhia espiritual do papa emérito. Hoje, Bento XVI reza por nós junto de Deus.

Thais Helena – Redação Correio da Semana
Fotos da Santa Missa na Igreja Catedral de Sobral – Marcildo Brito

 

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *