Domingo, Setembro 26
Shadow

Sou Misericordioso?

Shutterstock/ Asier Romerojovem com dúvidas (Shutterstock/ Asier Romero)

Fala, Jovem de Maria! Antes de entrarmos no assunto deste artigo, imagine duas situações:

1. O casal de namorados tendo aquela DR: A menina fala mil coisas e o menino só olhando, com cara de assustado. Certamente, ele ouviu duas ou três palavras. No restante, foi distraído pelo pensamento:

– O que eu vou falar para essa doida?

Após minutos de tentativa de conversa, os dois ficam em um eterno silêncio.

fizkes/Shutterstock
fizkes/Shutterstock

 

2. O adolescente está na rede social, quando… é interrompido por um grito da mãe:

– Maanooooeeeel! Vem me ajudar a mexer nesse trem!

É a mãe pedindo ajuda para usar o gravador do WhatsApp. O adolescente interrompe, indignado, sua navegação e com três palavras explica pra mãe:

– APERTA, FALA e GRAVA!

Ai da mãe se perguntar como faz para ouvir a gravação!

Shutterstock
Shutterstock

 

Essas duas situações nos fazem lembrar milhares de exemplos da falta de paciência e de misericórdia para com o outro. O casal de namorados deve conversar sobre a relação, quando essa não estiver saudável. Mas a maneira como se faz essa comunicação é fundamental para o relacionamento sair da UTI e partir à vida plena. Mas nem sempre isso acontece… A impaciência e as palavras usadas não abrem espaço para o diálogo e, sim, à raiva.

ATENÇÃO! Não só no namoro, mas em diversas situações de conversas. O Domingo da Misericórdia é um convite para avaliarmos como estão nossas atitudes ao ter uma DR ou qualquer outra conversa que necessita de seriedade.

‘Sou assim mesmo!”

Muitas pessoas dizem que “mulher é assim mesmo e não muda” ou “homem é tudo igual e age assim”. Essa fala é referente a diversas atitudes. Dizer isso é agir com orgulho e não querer crescer no amor e na paciência. Aqui, cabe a certeza de que, muitas vezes, as pessoas nos irritam e suas atitudes merecem correções e lições. Mas não é certo, a meu ver, agir porque a sociedade definiu que toda mulher ou homem deve ser da mesma maneira. Quando queremos crescer no amor, devemos eliminar de nós os orgulhos que impedem esse crescimento.

Shutterstock/ Prostock-studio
Shutterstock/ Prostock-studio

Reconhecer nossas limitações é fundamental para crescermos no amor! Indico o fato de querer ser dono da razão e tantas vezes não estar disposto ao diálogo e impor ao outro a nossa forma de pensar! Ou o fato de agir tão grosseiramente que machucamos pela língua. 

Aqui cabe uma reflexão: Sou misericordioso?

Jesus nos convida a sermos misericordiosos como Deus (Lc 6,36). Nesta mesma passagem do Evangelho, Jesus nos dá dicas de como agir com misericórdia.

Convido você a ler cada frase que aqui foi aqui transformada em pergunta. Mergulhe nelas como uma reflexão e oração!

Amo meus inimigos, faço o bem aos que me odeiam?

Bendigo os que me maldizem e oro pelos que me caluniam?

Como quero que as pessoas me façam, da mesma maneira lhes faço também?

Se amo aos que me amam, que recompensa tenho? (lembrando que também os pecadores amam aos que os amam).

E se faço bem aos que me fazem bem, que recompensa tenho? (também os pecadores fazem o mesmo).

Amo, pois, a meus inimigos, faço bem e espero sem nada esperar? (Se sim, será grande a minha recompensa e serei filho do Altíssimo; porque Ele é benigno até para com os ingratos e maus).

Tenho costume de julgar os outros? (Se não julgo, não serei julgado; não condeno, e não serei condenado).

:: Gostou da reflexão? Tá pronto(a) pra começar?
Compartilhe com alguém! Juntos, vocês certamente irão conseguir!

José Eymard (Foto José Eymard)

Apresentador da TV Aparecida, atualmente à frente do programa Igreja em Saída. Jovem entusiasmado, é colaborador frequente do Jovens de Maria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *