Quinta-feira, Abril 18
Shadow

SANTA RITA DE CÁSSIA

Cardeal Orani João Tempesta
Arcebispo do Rio de Janeiro (RJ)

 

Celebramos, no dia 22 de maio, o dia de Santa Rita de Cássia, uma santa bem popular na cultura religiosa do Brasil. Neste ano a festa é omitida pois é o 6º domingo do tempo pascal, a não ser em igrejas em que Santa Rita é titular.  A sua primeira Igreja no Brasil é no centro do Rio de Janeiro cuja devoção tem mais de 3 séculos. Santa Rita defendeu sua família e rezava muito por seu esposo, que era alcoólatra, e por seus filhos para seguirem o bom caminho. Santa Rita é um exemplo para todas as mães de que, através dos joelhos dobrados e da oração, é possível conseguir muitas graças.  

Como encontramos os dados da santa na internet e em muitos livros, a sua vida é muito conhecida.
Desde criança, Santa Rita demonstrava interesse de entregar a sua vida a Cristo, acreditava no amor pela Sagrada Família e, por isso, almejava constituir família. Como era comum acontecer no passado, o pai de Santa Rita, que era um juiz de paz, arrumou um casamento entre classes para a sua filha.  

Certa vez, Santa Rita conheceu nos mercados um homem que salvou uma criança, dias depois o encontrou na casa de sua amiga Mancini e o reconheceu, era Paulo. Paulo também se apaixonou por ela, contudo, ele era filho de Ferdinando Mancini, um dos cavaleiros mais ricos e poderosos da região, que gostava que seus filhos se casassem para favorecer os negócios da família. Santa Rita pede a intercessão de Jesus, para que se fosse da vontade d’Ele, tornasse o casamento possível. Esse é considerado o primeiro milagre de Santa Rita de Cássia. Ela se casa com Paulo, mesmo sendo de classes distintas.  

Esse trecho da história de Santa Rita ajuda, em especial, a todas as mulheres a rezarem antes de seu

casamento e entregarem a Jesus esse matrimônio que irão abraçar. Por isso, a importância de antes do casamento realizarem o curso de noivos, fazerem a entrevista com o padre e toda a preparação necessária para abraçarem com consciência a vida que terão a dois e que essa nova vida seja abençoada por Deus. Só conseguiremos superar todas as dificuldades se estivermos com Deus ao nosso lado, pois, sem a presença de Deus fica extremamente difícil. O casamento deve ser realizado na Igreja e com a benção de Deus. Porém Santa Rita, mesmo entregando seu matrimônio a Jesus, teve as dificuldades no matrimônio.  

Peçamos a intercessão de Santa Rita por todos os casais que irão abraçar o matrimônio, que ofertem a Jesus essa nova vida. E que não desistam na primeira dificuldade que aparecer, mas que através da oração e dos joelhos no chão, superem esses momentos de dificuldade. Por longos anos, Santa Rita dobrou os joelhos no chão e rezou por sua família. Do casamento de Santa Rita brotaram dois frutos, que são seus filhos gêmeos Giangiacomo Antonio e Paulo Maria.  

Como dissemos, o matrimônio de Santa Rita de Cássia não foi fácil, devido ao caráter violento do marido. Por meio de suas constantes orações e joelhos no chão, conseguiu a graça de sua conversão.

O marido de Santa Rita acabou morrendo assassinado, por traição do chefe do feudo. O pai de seu esposo levou os filhos de Santa Rita para lhes ensinar a batalhar, a fim de posteriormente vingar a morte do pai. Na hora da batalha, foram pegos em emboscada. Com o objetivo de protegê-los, Santa Rita os enviou para um convento distante. As freiras abrigavam leprosos, que transmitiram doença aos filhos da santa, os quais não sobreviveram.  

De repente, Santa Rita ficou viúva e sem os filhos, e assim chegou 9º momento de se consagrar na vida religiosa. Lembremo-nos no dia de Santa Rita de tantas mulheres que perderam seus maridos e filhos e se encontram sozinhas no mundo, que essas mulheres possam se manter fortes e por meio da oração constante possam ser confortadas pela fé e não se desesperem, do mesmo modo que Santa Rita não se desesperou.  

Santa Rita sentiu no coração o desejo de ingressar no convento e entregar inteiramente a sua vida a Deus. Ela desejava entrar no convento das irmãs Agostinianas, mas elas só aceitavam mulheres solteiras. Santa Rita ficou muito tempo refugiada na casa dos sogros. Mesmo assim, começou a cuidar dos doentes de lepra e a curar enfermos. Contam seus biógrafos que, numa certa noite, Santa Rita ouviu um chamado dizendo: “Rita, Rita, Rita”. Ao abrir a porta, ela deparou-se com Santo Agostinho, São Nicolau e São João Batista. Eles pediram que ela o seguisse e depois de andarem pela rua, eles desapareceram e Rita sentiu um suave empurrão. Quando se deu conta, ela estava dentro do mosteiro, estando este com as portas trancadas. Então, as freiras não puderam lhe negar a entrada. Rita viveu ali por 40 anos. É maneira como piedosamente a tradição vai contando os fatos que de impossíveis passaram a possíveis. 

Santa Rita nos ensina a persistência e a sermos firmes em nosso propósito de seguirmos a Deus. Santa Rita desejou a vida inteira entregar a sua vida a Ele, até que depois de viúva, conseguiu.

Sejamos persistentes em nossas orações e permaneçamos firmes em nossos propósitos de entregar nossa vida a Ele.  

Peçamos a proteção de Santa Rita para as nossas doenças e que ela interceda por todas as famílias. Aprendamos de Santa Rita a nutrir em nosso coração a fé. Ao ofertar as rosas a Ela, como é costume fazer no dia de sua festa, ofereçamos essas rosas a Nossa Senhora, na qual Santa Rita amava muito. Assim como seria impossível encontrar rosas em tempo de inverno, que acreditemos que aquilo que parece impossível é possível para Deus. 

Fonte: Site CNBB

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *